Primeiro ponto

Depois de uma paragem necessária, volto ao mundo dos blogues. As saudades foram muitas mas, como gosto de mudanças, a casa é nova. Esta necessidade de nada ser obrigatoriamente permanente é algo meu, assim como o gosto pela opinião e pela reflexão, ao sabor do que quero e quando posso. Não faço ideia da regularidade com que os posts vão surgir, aqui, nem da sua dimensão, e quero sentir-me livre para ir indo conforme aquilo que me faz  pulsar ou serenar.
Uma coisa é certa. Considero que não devo criar expetativas em relação a um determinado número de coisas, sobretudo para não defraudar quem por aqui passar. Sou de esquerda, mas independente, gosto de pensar por cabeça própria e teria dificuldades em pertencer a um partido, o coletivismo forçado afasta-me; pouco religiosa porque não gosto de rituais, ecuménica será mais o estilo, capaz de entrar numa igreja, mesquita ou sinagoga com a mesma atitude espiritual; sou pró-refugiados, a tragédia da guerra e o drama da Siria angustiam-me; sou absolutamente contra a intolerância, a xenofobia, o racismo, a segregação; detesto machismo, daquele que confina mulheres ao fogão e ao tanque, embora ache que nós mulheres atualmente temos demasiadas frentes para combater; não suporto extremismos, fundamentalismos, terrorismos. Defendo o valor da vida humana como intocável, a dignidade do indivíduo como sagrada e as liberdades individuais, quando e se respeitando as dos outros. Sou isto e muito mais mas aqui fica a informação para que seja um teste desde já à vontade ou capacidade de se ler o que por aqui irei escrevendo.
Não sou contra o AO, embora o considere difícil, sobretudo na hifenização, que ainda não domino. Não sou perita em gramática portuguesa, gosto mais de escrever em inglês, sou distraída e o rigor sai a perder tanto com a distração como com o miúdo à minha volta, aos saltos ou a fazer perguntas em ritmo non-stop.
Posto isto, estou de volta. Em regime aberto, não muito imprevisível, espero, para exorcizar as minhas obsessões e partilhar gostos e ideias, sobre o mundo que é nosso e também sobre o meu, feminino q.b, sempre, abordando temas diversos porque não sei senão discorrer sobre a diversidade e os mundos que ela nos faz descobrir.

WomenHoldingWorld

Anúncios